Tecnologias de Informação? Comecemos pela informação!

Publicado a: 26 Julho, 2017

Categoria: Sem categoria

Visualizações: 117

No meu primeiro contacto com esta área das TI – que viria a ser a minha vida profissional – tive a sorte de me encontrar com alguém que me transmitiu exatamente essa preocupação em perceber o que o utilizador quer e precisa, antes de dar qualquer outro passo. Estávamos em 1980 e nunca se tinha ouvido falar de Design Thinking!

 

Trabalhei depois muitos anos na área das Tecnologias de Informação, com diferentes funções, e raramente vi alguém preocupado em obter informação útil e detalhada dos utilizadores antes de começar a desenvolver soluções, para gerir ou gerar informação para esses mesmos utilizadores.

Já não é novidade, mas estamos numa época em que devemos enveredar por uma nova aproximação à forma como as soluções TI são desenhadas, da mesma forma que é importante repensar a forma como se resolvem os desafios dos negócios e das organizações em geral.

É fundamental que o Design se torne uma forma enraizada de pensar (Think), pois é um processo que pode ser entendido e divulgado para que cada organização faça muito melhor, para quem utiliza, tudo aquilo que produz, sejam produtos ou serviços!

Atualmente, quando se fala nos utilizadores, o primeiro conceito que por regra vem à nossa mente é UX – User Experience! Mas essa é apenas uma pequena parte, embora muito importante, do que o Design Thinking pode fazer pelo sucesso das soluções baseadas nas tecnologias de informação.

O Design Thinking, bem aplicado e nas fases certas, permite idealizar uma solução tecnológica completa, desde a camada de interface com o utilizador até à arquitetura que a suporta, passando pelo processo, pelas camadas aplicacionais e por todas as ferramentas de suporte necessárias.

Porque é que um sistema de pagamento de parqueamento num Hotel tem que ser um processo moroso para quem esteve apenas 5 minutos no lobby? Porque uma nova solução de gestão de um processo fabril não pode ser simples para os empregados e suportada numa infraestrutura já existente?

Porque não fazer (todas) as perguntas a quem sabe do seu trabalho, antes de começar a produzir “soluções” para os seus problemas, se não os conhecermos na primeira pessoa?

O Design Thinking, através de um processo interativo e iterativo, sempre com as pessoas no centro, quando deviamente orientado e facilitado, é um passo seguro no caminho de uma solução, pois permite falhar depressa e a baixo custo, corrigindo com rapidez e menor esforço, por várias vezes, se necessário, até se alcançar o sucesso.

Para quem gosta de analogias, diria que o Design Thinking está para as TI como o ABS para um automóvel, pois a travagem não bloqueia de imediato as rodas, antes vai realizando pequenas travagens e corrigindo à medida da necessidade. Com o ABS a travagem faz-se em menor espaço, menos tempo e com mais segurança. Com o Design Thinking também alcançamos o sucesso mais rápido e com menos risco!

Travem com segurança!

 

Daniel Lança Perdigão
Strategist & Visual Thinker
LinkedIn | Daniel Lança PerdigãoBiografia Completa
Partilhe este artigo:
Share on Facebook12Share on LinkedIn9Share on Google+0Tweet about this on Twitter

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *