Ericsson apresenta visão de dispositivos móveis IoT com novos segmentos e soluções

Publicado a: 15 Fevereiro, 2019

Categoria: Notícias

Visualizações: 155

Tags: , ,

Ericsson acaba de apresentar os próximos passos na evolução dos dispositivos móveis IoT e lança novas soluções que vão permitir aos fornecedores de serviços abordar uma parte maior do mercado de IoT com diversos casos de utilização em setores como automação, fabrico e utilities.

A Ericsson descreve a evolução dos dispositivos móveis IoT em quatro segmentos de mercado: Massive IoT; Broadband IoT; Critical IoT e Industrial Automation IoT. Dois destes segmentos são novos – banda larga IoT e IoT de automação industrial. A banda larga IoT adota recursos de banda larga móvel para IoT e suporta taxas de dados elevadas e latências mais baixas do que a Massive IoT. Automação Industrial IoT permitirá aplicações avançadas de automação industrial com requisitos de conectividade extremamente exigentes.

Em linha com a sua visão de dispositivos móveis IoT, a Ericsson lança funcionalidades otimizadas para o Massive IoT * e novas soluções para banda larga IoT. Um exemplo da otimização do Massive IoT é o alcance de célula estendida NB-IoT de 100 km, que estende o limite baseado em padrões de cerca de 40 km a 100 km através de atualizações de software sem alterações nos dispositivos NB-IoT existentes. Esta possibilidade permite gerar oportunidades na conectividade de IoT em áreas rurais e remotas, particularmente para monitorização de logística, agricultura e meio ambiente. A Ericsson implementou ligações de dados NB-IoT de até 100 km com a Telstra e a DISH.

As soluções banda larga IoT que estão a ser lançadas incluem deteção de drone e controlo de link, partilha de rede de acesso de rádio (RAN), Advanced Subscriber Group Handling e Multi-Gigabit LTE para taxa de transferência de dados de 2Gbps e latência de 10 milésimos de segundos. As novas soluções permitirão uma ampla gama de casos de utilização em automóveis, drones, AR / VR, wearables avançados, fabrico inteligente e utilities inteligentes.

Fredrik Jejdling, Vice-presidente Executivo e responsável de Networks da Ericsson, afirma: “Os dispositivos móveis IoT estão a transitar da adoção inicial com o Massive IoT para um lançamento global. Atualmente estamos a descrever ” e o que vem a seguir?” junto dos nossos clientes e de que forma é que eles podem tirar o máximo retorno dos seus investimentos em 4G e 5G na mesma rede e abordar casos de uso de IoT mais avançados em todos os setores.”

Evolução dos dispositivos móveis IoT

O conceito de evolução da Ericsson descreve de que forma os dispositivos móveis IoT podem ser transferidos dos casos de utilização mais básicos do Massive IoT, como rastreamento de ativos e medição inteligente, para casos de uso cada vez mais sofisticados habilitados pela Banda Larga IoT (por exemplo: infotainment em carros, AR / VR, drones e wearables avançados) e, em seguida, por Critical IoT (por exemplo, veículos autónomos) e Automação Industrial IoT (por exemplo, robótica colaborativa em produção).

Esta abordagem gradual tornará mais fácil para fornecedores de serviço combinar as capacidades dos dispositivos móveis IoT com casos de uso atuais e futuros, continuando a otimizar as redes LTE enquanto se prepara para 5G. Com o uso eficaz de técnicas como a divisão de rede, os fornecedores de serviços podem oferecer suporte a todos os quatro segmentos numa única rede, permitindo que otimizem os seus ativos e aproveitem as oportunidades de receita nos diferentes setores. De acordo com o Ericsson Mobility Report, o número de conecções celular IoT deve atingir os 4,1 mil milhões em 2024 – aumentando gradualmente com uma taxa de crescimento anual de 27%.

“AEricsson apresentou uma visão excecionalmente clara para os dispositivos móveis IoT com segmentos bem definidos para fornecedores de serviços para que possam gerir novas oportunidades de crescimento de negócios de digitalização não indústria. O conceito de evolução dos dispositivos móveis IoT Ericsson irá dar suporte aos fornecedores de serviços permitindo que façam crescer os casos de uso add-on, mesmo dentro de uma única área vertical.”


Patrick Filkins, Analista de Pesquisa, Senior, IoT e de Infraestruturas de rede móvel na IDC
Partilhe este artigo:
Share on Facebook
Facebook
0Share on LinkedIn
Linkedin
Tweet about this on Twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *