Invillia escolhe Portugal como hub para entrada na Europa

Publicado a: 22 Novembro, 2019

Categoria: Notícias

Visualizações: 33

Tags: ,

A Invillia, multinacional brasileira com mais de 500 colaboradores abriu escritório em Lisboa e até final de 2020 prevê que cerca de 20% da sua comunidade de talentos seja portuguesa.

Além de Portugal, mercados prioritários na Europa incluem Alemanha, França, Holanda e Reino Unido, a que se soma depois EUA, num investimento em internacionalização que ascende a €4 milhões nos próximos anos. Volume de negócios global deverá superar em 2019 o marco dos €20 milhões. Objetivo é continuar a duplicar a dimensão da empresa a cada 2 anos.

A Invillia, framework que conecta e desenvolve equipas customizadas de inovação que aceleram o crescimento digital das empresas, escolheu Portugal como primeiro hub para o seu projeto de expansão no continente europeu.

De acordo com Renato Bolzan, CEO da Invillia, «Portugal tem potencial para ser um dos líderes entre todos os hubs de inovação num futuro próximo: mentes criativas, excelência na educação, abertura ao exterior e aposta governamental. Existe toda uma estrutura arquitetada para atrair cada vez mais ideias, empreendedores e sonhadores, pelo que é o ambiente ideal para o nosso primeiro hub. Portugal é estratégico para a Invillia não só na conquista de clientes, como também de novos talentos».

A Invillia apresenta-se como resposta às empresas que precisam de escalar e expandir o seu poder de crescimento digital sustentado por competências multidisciplinares, disrupção no negócio, foco na qualidade e tecnologia de ponta.

«Construímos a nossa reputação na América Latina porque optámos por focar-nos num dos momentos mais delicados e difíceis da cadeia de inovação: a expansão. Percebemos que as empresas com ambição de competir no topo, num determinado momento precisam de parceiros com uma vocação que vai muito além da construção de produtos e serviços digitais. Precisam de um incremento profundo no negócio, um envolvimento contínuo nas suas metas e cultura, bem como uma framework de desempenho e de respostas em tempo real, flexível o suficiente para tornar-se única para cada desafio», destaca Renato Bolzan.

Foi esta forma de pensar e agir que tem atraído game-changers como o PagSeguro, UOL, C6 Bank, 99app, Movile, iFood, Flaner e Unitrust, muitos deles com operações na Europa, e que permitiu à Invillia duplicar a sua dimensão de 2017 para 2019.

Um trunfo crítico da framework Invillia é o ‘BestMinds, BestWhere’. Trata-se de um processo que começa com uma metodologia rigorosa de recrutamento, formação e capacitação de talentos. E que continua com a monitorização e mentoria individual, skill-ups técnicos, emocionais e de liderança, conduzidos e geridos pela Invillia Academy, uma espécie de universidade interna que, entre muitas inovações, criou o YourClass Studio, um espaço aberto para que qualquer pessoa partilhe conhecimento com a comunidade. Em paralelo, a Invillia redesenhou a sua estrutura e ferramentas para eliminar todas as barreiras entre trabalhar no escritório ou em qualquer lugar do mundo, num projeto que é hoje referência de interação, performance e integração – e que permite contratar com mais precisão e liberdade o talento certo para cada squad (unidade de inovação) do cliente.

A Invillia tem também uma tradição que pretende seguir em qualquer novo país onde atue: parcerias de longo prazo (como é o caso da UOL e PagSeguro que vêm desde há 15 anos). Está no seu ADN atender o cliente de forma integral, com soluções digitais end-to-end, agregando valor em todas as etapas, e não distinguindo clientes grandes de pequenos.

«No entanto, sabemos que há um perfil que tem grande afinidade com a nossa proposta de valor: o que já testou outras formas de inovar e expandir o seu negócio, seja através de freelancers, outsourcing, equipas internas ou outras abordagens. Este tipo de cliente compreende de imediato o que diferencia o modelo Invillia: equipas muito customizadas (uma por jornada/desafio), apenas com os melhores talentos (independentemente da sua localização), num alinhamento total com a sua cultura, e guiados pela qualidade, métricas e insights. Tudo isto regido por um só ponto de contacto, a framework que garante um elevado envolvimento, agilidade e autonomia no aperfeiçoamento da jornada, desenvolvimento incremental e formação ininterrupta de toda a equipa. E como consequência natural, maior retorno», explica Renato Bolzan.

Em termos de recursos humanos, a Invillia pretende elevar o número de profissionais portugueses para 10% do total da sua comunidade global, entre engenheiros, programadores, estrategas, criativos e designers UX, chegando aos 20% até final de 2020. As candidaturas podem ser efetuadas aqui.

O projeto de internacionalização da Invillia envolve um investimento global de 4 milhões de euros, que além de Lisboa inclui Londres e EUA – totalizando 4 hubs conectados e a gerar capital intelectual e tecnológico no que designa por Global Tech Community.

A nível global, a faturação da empresa deverá superar os 20 milhões de euros em 2019, contando já com um contributo importante do investimento em solo europeu. «Durante os próximos anos, projetamos um crescimento médio de 35%, num cenário conservador, e continuamos a perseguir a meta de duplicar a nossa dimensão a cada 24 meses. Onde houver uma empresa a enfrentar um contexto de expansão digital e de inovação, queremos lá estar para injetar poder de crescimento», conclui Renato Bolzan.

Veja aqui mais notícias do Falando TI.

Partilhe este artigo:
Share on Facebook
Facebook
0Share on LinkedIn
Linkedin
Tweet about this on Twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *